#CelebrityTBT - O assédio da Rede Globo por novos talentos de outras emissoras.

Foto: Divulgação






Por Calil Neto

03 de outubro de 2019.

Lembro muito bem desse período em que Luciano Huck hoje com o Caldeirão do Huck apresentava o H na Band. Tiazinha ( Susana Alves ) fazia muito sucesso, foi até a capa da revista Playboy, e era comentada por todo mundo nas ruas. Era um das mulheres mais desejadas do país. Sem falar depois da Feiticeira, a loirérrima Joana Prado, que também saiu em revista masculina. E tinha o Programa Livre, fala garoto, apresentado pelo jornalista Serginho Groisman que foi levado para a Globo para apresentar nos mesmos moldes o até hoje bem sucedido Altas Horas nas noites de sábado. O Jô Soares, esse já veterano no humor e na televisão, que com a fórmula de sucesso do talk show Jô Onze e Meia foi para a Globo apresentar o Programa do Jô levando toda a sua equipe com ele. E a comilona Ana Maria Braga que deixou o seu Note e Anote na TV Record para ir apresentar também nos mesmos moldes junto com Louro José o matinal Mais Você. ( Foto: revista Veja ). Um dos grandes momentos da nossa televisão. Momento de grandes negociações envolvendo a tevê brasileira.


Esse é TBT que a revista Veja divulgou nesta quinta-feira (03):

#TBT 📺 Há 20 anos, apresentadores iniciantes atraíram a atenção da alta diretoria da Rede Globo, que até então apostava suas fichas em novelas. "Além de baratos, programas de auditório são facilmente substituíveis. Se um não dá certo, pode trocá-lo aproveitando elementos do anterior", disse José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (Boni), consultor da Rede Globo, à reportagem de #VEJA em 1999. Dois motivos explicam o entusiasmo com as atrações populares: o aumento de audiência das classes C, D e E (público cativo da modalidade) e possibilidade maior de merchandising. À época, cada vez que o Ratinho abria a boca para anunciar um produto, embolsava o equivalente a 13,6 mil reais em valores atuais. Seus ganhos mensais saltaram de 250 mil para 1,5 milhão de reais entre 1997 e 1999, grande parte devido a licenciamentos e "merchans". Luciano Huck, Celso Portiolli, Serginho Groisman e Ana Maria Braga estavam na leva de animadores carismáticos que cativaram o público e passaram a ser cortejados pela Rede Globo. O assédio global melhorou a vida de alguns, como Celso Portiolli, sondado pela emissora e retido pelo SBT com aumento de salário. Outros apostaram a sorte (mesmo com oferta salarial menor) no canal: Huck (Band), Groisman (SBT) e Ana Maria Braga (Record) decidiram entrar para o elenco global. Então com 27 anos, Huck achava que, na Globo, poderia ficar conhecido nacionalmente e otimizar novos negócios. Segundo ele, na Bandeirantes "nem os office boys" o cumprimentavam. A aposta foi certeira: além do salário de mais de 1 milhão como apresentador do Caldeirão do Huck, no ar desde 2000, lucra também com o fundo de investimentos Joá e, vira e mexe, seu nome aparece como aposta para Presidência da República.

Comentários