Bate-papo do blog com o jornalista de famosos Alvaro Leme.





Por Calil Neto

13 de julho de 2018.

Conversei com um dos maiores jornalistas de televisão e famosos do nosso Brasil, Alvaro Leme que acompanho desde a época da revista Vejinha São Paulo. Alvaro que é uma gentileza e passou por revista Veja, R7 da Record e muito mais e tem um canal divertidíssimo de entrevistas no You Tube concedeu ao Blog do Calil Neto um super bate-papo.


Calil Neto: De onde veio o carinho de trabalhar com o jornalismo de celebridades?

Era "carinho" mesmo a palavra?


Calil Neto: Sim.

 Ok


Calil: Deve ser aptidão.Não sei que palavra posso usar.


 Eu fiquei na dúvida se não era "caminho", por isso perguntei.Fui um menino que vivia ligado na televisão, e preferia ficar na frente dela a ir pra rua brincar. É que, nos anos 80, tinha tempo de sobra para as duas coisas, acho, porque eu também curtia bastante o momento de correr pelo quintal. Cresci sabendo os nomes de todas as novelas e artistas, e como sempre foi algo muito distante pra mim, quando virei jornalista e tive chance de estar perto daquele mundo, fui com tudo. E peguei gosto.

Calil: Qual o momento mais inusitado ou marcante da carreira lidando com os famosos? 




 Todos os que vivi com a Hebe Camargo. Meu primeiro emprego foi como repórter da Contigo!, e cada jornalista tinha um punhado de famosos para monitorar. Ela era da minha lista, então precisava me aproximar de todos do mundo dela, ir a tudo que ela lançasse ou fizesse, entrevistá-la... Eu era bem novinho, e ela me chamava de "meu menininho", o que me deixava todo bobo. De 2001 até a morte dela, em 2012, tive o prazer e o privilégio de estar com ela várias vezes. Numa dessas, ela me cedeu uma foto de quando estava se tratando do câncer e ficou careca. A foto foi capa da Veja São Paulo e marcou minha história.


Calil Neto:Obrigado meu querido. Sou teu fã.


 Imagina! Eu que agradeço!


Com Carol Magalhães. - Imagens: Divulgação

Comentários